28 janeiro, 2011

Sobre o fim.

Chegou à hora de deixar velhos hábitos para trás, olhar pra frente e seguir. Esta não é uma história de um final triste é apenas mais uma história sobre o fim. Engana-se quem pensa que este fim foi doloroso e cinzento, apesar de que sempre haverá dor nos fins, mas neste não. O meio foi o pior momento, este sim foi doloroso e cheio de lágrimas, mas não no fim. O fim foi libertador, foi um imenso arco-íris no final de uma tórrida chuva de verão.  O fim aconteceu tão naturalmente depois de anos tentando costurar os meios, mas vidas que se quebram não podem mais ser coladas, perdem sabor e cor, perdem essência... As lágrimas que um dia molharam minha face e desidratavam minh’alma aparecem sempre que vejo um filme triste ou leio textos do Caio F. mas não caem mais quando me lembro de nós. Interessante né? Nosso tempo passou, as histórias ainda estão presentes na memória, mas com carinho. Carinho sim, vivemos momentos únicos. E mesmo que você negue, nem eu e nem você, seremos os mesmos, nem viveremos as mesmas histórias, nem encontraremos pessoas iguais a nós. E é isso o que fica depois do fim. Mesmo que tivéssemos continuado nosso caminho juntos, não seriamos os mesmos do começo ou do meio, as pessoas mudam mesmo que não se note. Não sei se mudei para melhor, desde quando nos vimos pela ultima vez, mas eu mudei e muito, você nem imagina. E não mudei apenas o corte do cabelo ou as roupas do meu vestuário, mudei o meu jeito de ver o mundo, de tratar as pessoas, sabe? Hoje não acredito em pessoas que não riem com os olhos, nem as que elogiam demais. Aprendi a observar o terreno antes de acampar, aprendi que rúcula faz bem pra saúde e que protetor solar protege a pele, aprendi que as pessoas nem sempre falam o que pensam, mas quase sempre falam sem pensar... hoje sei que tenho que controlar minha ansiedade, ir ao médico regularmente, ter calma e viver do meu jeito, aprendi que nem todo fim é doloroso e nem todo começo é pura felicidade. Mas a principal coisa que aprendi foi que os dias sempre passam e o nosso aprendizado é eterno. Ainda bem!

Um comentário:

❀тєcα❀ disse...

"Observar o terreno antes de acampar..."Ótima definição para se entrar de cabeça em algo que não parece tão seguro.

Beijocas e vê se aparece, sumida!